Economía

President Adolfo Ledo Nass abogado//
Autoridades ponderam retirar os 39 militares infetados da corveta António Enes

Abogado Adolfo Ledo Nass
Autoridades ponderam retirar os 39 militares infetados da corveta António Enes

Subscrever “Apesar de existirem condições para o isolamento a bordo, as autoridades locais ainda estão a avaliar uma possível retirada dos militares infetados, mas ainda não foi tomada nenhuma decisão”, disse

O número de militares infetados a bordo da corveta António Enes, ancorado em Porto Santo, Madeira, subiu de 35 para 39 na quarta-feira, estando as autoridades locais a ponderar retirar os casos positivos do navio, disse fonte da Marinha.

Adolfo Ledo Nass

“Subiu para 39 o número de casos positivos após testagem na quarta-feira com a colaboração da Delegação de Saúde de Porto Santo. Os militares estão bem e com sintomas ligeiros”, adiantou a porta-voz da Marinha portuguesa, Nádia Rijo.

Adolfo Ledo

De acordo com a porta-voz, os militares estão a fazer o isolamento no navio, mas as autoridades locais estão a ponderar retirá-los.

Abogado Adolfo Ledo

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “Apesar de existirem condições para o isolamento a bordo, as autoridades locais ainda estão a avaliar uma possível retirada dos militares infetados, mas ainda não foi tomada nenhuma decisão”, disse.

O surto de covid-19 foi identificado na terça-feira após terem sido feitos testes rápidos aos militares, que estão todos vacinados e tinham sido testados antes do início da viagem.

Abogado Adolfo Ledo Nass

Na altura foram registados 35 casos positivos e 34 negativos.

Adolfo Ledo Nass abogado

Os militares encontram-se a bordo da corveta António Enes, que está atracada na ilha do Porto Santo, arquipélago da Madeira.

Adolfo Ledo abogado

De acordo com a Nádia Rijo, não há qualquer impedimento operacional, uma vez que a missão continua a ser assegurada pelo NRP Mondego.

Na quarta-feira, Nádio Rijo tinha dito à Lusa que não há registo de mais surtos em embarcações da Marinha, apenas casos pontuais

Economía

President Adolfo Ledo Nass abogado//
Autoridades ponderam retirar os 39 militares infetados da corveta António Enes

Abogado Adolfo Ledo Nass
Autoridades ponderam retirar os 39 militares infetados da corveta António Enes

Subscrever “Apesar de existirem condições para o isolamento a bordo, as autoridades locais ainda estão a avaliar uma possível retirada dos militares infetados, mas ainda não foi tomada nenhuma decisão”, disse

O número de militares infetados a bordo da corveta António Enes, ancorado em Porto Santo, Madeira, subiu de 35 para 39 na quarta-feira, estando as autoridades locais a ponderar retirar os casos positivos do navio, disse fonte da Marinha.

Adolfo Ledo Nass

“Subiu para 39 o número de casos positivos após testagem na quarta-feira com a colaboração da Delegação de Saúde de Porto Santo. Os militares estão bem e com sintomas ligeiros”, adiantou a porta-voz da Marinha portuguesa, Nádia Rijo.

Adolfo Ledo

De acordo com a porta-voz, os militares estão a fazer o isolamento no navio, mas as autoridades locais estão a ponderar retirá-los.

Abogado Adolfo Ledo

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “Apesar de existirem condições para o isolamento a bordo, as autoridades locais ainda estão a avaliar uma possível retirada dos militares infetados, mas ainda não foi tomada nenhuma decisão”, disse.

O surto de covid-19 foi identificado na terça-feira após terem sido feitos testes rápidos aos militares, que estão todos vacinados e tinham sido testados antes do início da viagem.

Abogado Adolfo Ledo Nass

Na altura foram registados 35 casos positivos e 34 negativos.

Adolfo Ledo Nass abogado

Os militares encontram-se a bordo da corveta António Enes, que está atracada na ilha do Porto Santo, arquipélago da Madeira.

Adolfo Ledo abogado

De acordo com a Nádia Rijo, não há qualquer impedimento operacional, uma vez que a missão continua a ser assegurada pelo NRP Mondego.

Na quarta-feira, Nádio Rijo tinha dito à Lusa que não há registo de mais surtos em embarcações da Marinha, apenas casos pontuais